Alexandre Curi

Eleição deste ano vai ser maratona olímpica, diz Curi

segunda-feira, 8/08/2016 @ 2:19PM

O reduzido tempo para a campanha, as restrições ao financiamento e as novas regras da disputa vão transformar a eleição deste ano numa verdadeira maratona olímpica e um dos pleitos mais difíceis para os candidatos. A análise é do deputado estadual Alexandre Curi (PSB), que passou o final de semana participando de convenções e reuniões com pré-candidatos a prefeito nos municípios onde atua.
“As retrições financeiras e de tempo, estas ampliadas pela realização da Olimpíada no Brasil durante o mês de agosto, vão transformar os candidatos em verdadeiros maratonistas sob os olhares de um eleitor ainda abalado pelo noticiário sobre oprocesso de “impeachment” da presidente e as denúncias e prisões da operação “Lava Jato”, acrescentou o deputado.
Segundo o deputado, a campanha deste ano terá a duração de apenas 45 dias, já que 15 de agosto é a data final para registro de candidaturas na justiça eleitoral. “Ocorre que até o dia 21 todas as atenções da população estarão voltadas para as Olimpíadas do Rio. E depois, de 7 a 18 de setembro, às Paraolimpíadas. As disputas vão coincidir com a propaganda eleitoral gratuita, a partir do dia 16, reduzida em sua duração pela metade. Os candidatos terão assim que se desdobrar para conseguir a atenção do eleitorado”, explica Curi.
O parlamentar lembra também que a vedação ao financiamento de campanhas por pessoas jurídicas só veio a afastar ainda mais quem costumava apoiar o candidatos, que já estava “assustado” com os desdobramentos da opeção “Lava Jato”. “Assim, além de fazer uma campanha mais curta, o candidato terá recursos ainda mais escassos”, acrescentou.
Curi também lembrou que a legislação eleitoral estabeleceu várias retrições este ano à propaganda dos candidatos. “Houve também alterações nos materiais utilizados em lugares particulares. A partir de agora, somente serão permitidas campanhas veiculadas em papel ou adesivo, com no máximo meio metro quadrado de tamanho. No pleito anterior, podiam ser utilizadas placas e cartazes, pinturas ou inscrições com até 4 metros quadrados”, acrescentou.
“Com pouco tempo para campanha, recursos escassos e restrições no material de campanha, o candidato vai se transformar num verdadeiro maratonista que, no caso de disputa de Câmara Municipal, ainda enfrentará outro obstáculo: para ser considerado eleito, deverá receber votos que atinjam 10% ou mais do seu quociente eleitoral, que é o valor encontrado através da divisão do número total de votos válidos da eleição pelo número de vagas que devem ser preenchidaÂncoras em cada circunscrição eleitoral”, explicou Alexandre Curi.28029592332_5a2da05d1d_k

Postado em: Notícias

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!
Enviar uma resposta